Passagens de fauna implantadas na BR-101 contribuem para a conservação das espécies

Atualizado: 21 de dez. de 2021


Diante da importância das rodovias para o desenvolvimento de diversos setores, as obras viárias devem oferecer segurança, conforto e economia aos usuários que por elas transitam. O DNIT, por meio da Gestão Ambiental BR-101 PE/AL/SE/BA, proporciona soluções que visam amenizar os possíveis danos gerados à biodiversidade através da construção de passagens de fauna terrestres e aéreas em locais sugeridos no Estudo de Impacto Ambiental (EIA) da ampliação da rodovia e aprovados pelo Ibama.


Importância das Passagens de Fauna

Os atropelamentos de animais silvestres são prejudiciais tanto para as espécies afetadas, como para outras que são atraídas pelas carcaças. Além disso, os usuários da rodovia podem provocar acidentes ao tentar desviar do animal. Nesse sentido, a construção das passagens de fauna é de extrema importância para garantir a manutenção da biodiversidade e a segurança dos usuários, à medida que reduz os índices de atropelamentos da fauna.


Os dispositivos de fauna são mecanismos alternativos que visam proporcionar a travessia segura de animais, funcionando como uma “passarela” que facilita o deslocamento dos indivíduos de um fragmento florestal para outro, sem que necessitem passar pela faixa de rolagem da rodovia. A eficiência dessas estruturas depende de características específicas que garantam a luminosidade, como as claraboias, para as passagens subterrâneas, e o direcionamento dos animais, como as cercas guia, além de dimensões adequadas; como também depende de características da rodovia e localização. Além dessas, existem também as passagens secas presentes sob as pontes, as quais também são avaliadas.


Segundo a bióloga Cynthia Diniz, anteriormente à instalação de um empreendimento rodoviário, é feito um inventário do meio biótico regional e um monitoramento prévio de atropelamentos de fauna com a finalidade de conhecer as espécies mais susceptíveis, seus comportamentos e os locais de maior incidência de atropelamentos. A partir daí são estabelecidos os tipos e os locais para a construção das passagens de fauna. Todo esse estudo é inserido no EIA e posteriormente avaliado pelo órgão ambiental responsável.


Das 15 passagens de fauna previstas para serem implantas na BR-101 PE/AL/SE/BA 09 já foram construídas, sendo 07 em Alagoas e 02 em Sergipe.


Por que realizar monitoramento nas passagens de fauna?

O principal objetivo do Monitoramento de Passagens de Fauna é avaliar a efetividade de todos os dispositivos de travessia de fauna existentes na rodovia.


De acordo com as amostragens obtidas nos monitoramentos realizados nas obras de duplicação da BR-101/PE/AL/SE/BA já foram obtidos 1085 registros de 25 espécies utilizando as passagens de fauna mistas (associadas a pontes), 376 registros de 24 espécies cruzando as passagens subterrâneas e 12 espécimes de sagui-de-tufos-brancos (Callithrix jacchus) e três de ouriço-cacheiro (Coendou prehensilis) cruzando a rodovia BR-101/NE através das Passagens Aéreas. Adicionalmente, durante as campanhas amostrais foram avistados espécimes de preguiça-comum (Bradypus variegatus) repousando e alimentando-se em árvores a pouca distância das passagens aéreas.


Os registros apresentados comprovam a eficiência e a importância da presença destes dispositivos de proteção à fauna neste local.


Visando a manutenção da sustentabilidade socioambiental nas obras de duplicação da BR-101 PE/AL/SE/BA, o DNIT, por meio da Gestão Ambiental, executa uma série de programas e subprogramas que tem o objetivo de reduzir os impactos gerados sobre a flora, fauna, recursos naturais e pessoas atingidas pelo empreendimento.


Imagens: Rodrigo Caruccio, responsável técnico pelo Subprograma de Monitoramento das Passagens de Fauna




60 visualizações0 comentário